Multilang

quarta-feira, 19 de agosto de 2015

Cultivo da Berinjela



                Pode-se cultivar a berinjela ou a beringela, ambas formas de escrever estão corretas, sendo a primeira forma utilizada no Brasil e a segunda em Portugal. Planta da mesma família do tomate, da batatinha (Solanum tuberosum), do jiló, do pimentão e da jurubeba.
A berinjela é rica em vitaminas, sais minerais e fibras, considerada como medicinal. Apesar das diversas opções de saborear essa hortaliça e seus benefícios à saúde, ainda tem muita gente que não a aprecia, provavelmente devido influência da cultura familiar. Quem nunca provou uma lasanha de berinjela, ainda é tempo.
                Originária da Índia, a berinjela é consumida em diversas regiões do mundo. A maneira mais simples de consumir é grelhar o fruto inteiro, assado forno do fogão ou sobre uma grelha na churrasqueira ou no bico do fogão, depois acrescentar o molho shoyu, como se preparo no Japão, onde a berinjela é muito valorizada.
A berinjela grelhada pode ser temperada com o seu molho preferido, mas um cuidado que se deve tomar, antes de levar o fruto ao fogo, é necessário fazer alguns furos ou retirar um pedaço pequeno de suas extremidades, senão existe o risco do fruto explodir.
A primeira berinjela que preparamos no forno, foi lavado o fruto e levado diretamente ao fogo, sobre uma travessa, então a explosão, o susto e as paredes do forno ficaram impregnadas de berinjela. Nada de berinjela no jantar.

Figura 1 – Berinjela de cor purpura.
A berinjela mais popular, cultivada em jardineira de 30 litros.

                Como apreciamos essa hortaliça, já cultivamos diversas variedades, sobre as quais apresentaremos alguns comentários e ilustrações. Algumas informações apresentadas nesta postagem, além do cultivo em vaso ou jardineira, podem ser utilizadas na horticultura escolar ou comunitária urbana.


Vamos ao cultivo da berinjela em vasos:
1.       Plantio:
Para o cultivo em vasos, na horta caseira, como todas as plantas da família das Solanaceae, recomenda-se iniciar o plantio em copos plásticos de 200 ml.

Figura 2 – Plantio das sementes.
Planta-se, no máximo, de 3 a 4 sementes, em cada copo.
Os copos plásticos deverão receber alguns furos no fundo e um rasgo lateral de 1 a 2 cm no fundo do copo, feitos com auxílio de uma pinça de metal de ponta fina, aquecida.
Coloque 2 cm de areia de granulometria grossa ou média no fundo e soque, depois complete o copo com terra até atingir 2/3 ou ¾ da altura do copo e novamente soque.
Em seguida, posicione as sementes e cubra com 0,5 a 1 cm de terra e soque novamente. Regue e leve para um local sem sol direto, mas com luminosidade, mantendo a rega para que a terra não fique ressecada.

Figura 3 – Germinação das sementes.
Mudas após 11 dias depois do plantio das sementes, sendo que a germinação iniciou depois de 8 dias do plantio.
Recomenda-se colocar em local ensolarado, após o início da germinação das sementes.

Para variedades grandes, como a berinjela amarela, o plantio das sementes deve ser feito em um vaso de mudas, de 1,3 litro.


Figura 4 – Mudas de berinjela amarela.
Mudas depois de 18 dias do plantio das sementes, num vaso de mudas.


2.       Replantio:
O replantio da berinjela, da variedade mais comum, de coloração purpura, pode ser feito em vasos ou jardineiras a partir de 10 a 20 litros, local ensolarado, boa adubação orgânica, drenagem e rega abundante. Algumas variedades menores da berinjela podem ser cultivadas em vasos de 5 litros.

Existem os extremos, como a berinjela amarela, que a planta chega a atingir em torno de 2 metros de altura ou mais, em vaso de 40 litros, ou berinjela branca, com frutos do tamanho de uma bolinha de pingue-pongue, em que o cultivo pode ser feito em vaso de 5 litros.

Figura 5 – Mudas para replantio.
Quando as mudas apresentarem 3 a 4 folhas definitivas, podem ser replantadas.
Observar que algumas mudas que tiveram germinação mais tardia e já estão com o desenvolvimento prejudicado.

Figura 6 – Replantio.
Replantio feito em um vaso de 18 litros, após 25 dias da semeadura.
Depois de 10 dias do replantio, as mudas menores podem ser cortadas e deixada apenas a muda maior ou a mais sadia. As mudas menores, a serem descartadas, devem ser cortadas com auxílio de uma tesoura e não puxadas, pois as raízes entre as plantas podem estar entrelaçadas, causando danos na planta que permanecerá no vaso.

Para quem deseja reaproveitar as mudas cortadas é só colocar elas na espuma fenólica, ver exemplo no Cultivo do Tomate-II, que elas voltam a enraizar e aproveitadas para cultivo futuro.


Figura 7 – Mudas enraizadas.
Foram mudas cortadas com tesoura, no replantio, Figura 6, colocadas na espuma fenólica com água, depois de 28 dias.
Na hora de colocar a muda na espuma fenólica, ela pode receber um furo com palito, pois o tronco da muda não deve estar muito rígido.


3.       Floração e Colheita:
As primeiras flores irão abrir depois de um mês do replantio. Os frutos deverão ser colhidos depois de um mês e meio após a floração, dependendo da variedade. Melhor ponto de colheita é logo quando os frutos param de crescer. Se a colheita for feita tardia, as sementes ficam duras.


Figura 8 – Floração.
Berinjela amarela, com floração depois de 37 dias do replantio.

Figura 9 – Berinjela branca.
Cultivada em vaso de 18 litros.
Vista da planta depois de 80 dias do replantio. Floração ocorreu com 33 dias, do replantio. Os frutos maiores poderiam ser colhidos, após 1 mês da floração.

Figura 10 – Berinjela amarela.
Num vaso de 40 litros, planta depois de 98 dias do replantio, inclusive tem um fruto já iniciando a ficar com a cor amarela, quando se deve colher.
Essa variedade apresenta um fruto bem amargo, lembra o jiló, então é melhor consumir cozido ou refogado. As mesmas receitas para o jiló podem servir para a berinjela amarela.
Essa planta foi cortada, depois de 468 dias do replantio.

Figura 11 – Berinjela Onaga.
Cultivada em vaso de 5 litros.
Mesmo lote de plantas das Figuras 2, 3 e 5, após de 74 dias depois do replantio em vaso, quando foi realizada a 1ª colheita.
Essa variedade é melhor cultivar em vasos maiores, de 10 a 20 litros.

Figura 12 – Berinjela purpura em jardineira.
Cultivada numa jardineira de 30 litros.
Planta ficou enorme, com uma boa safra. Principalmente pela produtividade e tamanho dos frutos, essa variedade é a mais popular.
Não documentamos com detalhe, o desenvolvimento da planta.


4.       Terra, cobertura morta, adubação complementar e pragas:
Utilize terra comprada pronta em casa especializada de horticultura ou jardinagem. Em caso de reaproveitamento de terra utilizada em cultura anterior, acrescente adubação orgânica, misturando a cada 10 litros de terra, 1 litro de adubo orgânico curtido, 1 colher de chá de NPK e ½ colher de chá de calcário, mas para esses 2 últimos produtos melhor seguir as recomendações dos fabricantes. Ideal que a terra não seja muito pesada ou seja muito argilosa, acrescentar pouco de areia de granulometria média ou grossa.
No caso da berinjela, assim como outras hortaliças da família Solanaceae (tomate, jiló, pimentões, etc), exige boa adubação. Depois do vaso pronto para receber a muda, antes de replantar a muda, o vaso pode ter um reforço de adubação organica na borda do vaso. Então cave a borda do vaso, por exemplo para vaso de 18 litros, adicione mais 1 litro de adubo organico curtido, misturando com a terra, depois nivelando e socando levemente a terra, então a muda pode ser replantada no vaso.
Recomendamos a completar o vaso definitivo com 2/3 a ¾ de sua altura com terra, pois isso permite uma adubação complementar depois de iniciada a colheita. Não esquecer de colocar areia no fundo do vaso para prover a drenagem e aeração.
Para adubação complementar, depois de cada colheita ou mensalmente, adicionar no vaso com 2 a 3 cm de terra misturada com adubo orgânico curtido na proporção 50% ou simplesmente adicionar 200 ml de adubo orgânico curtido na borda do vaso, para um vaso de 20 litros.
A cobertura morta com folhas de bambu, folhas picadas de citronela ou casca de coco ajudam na proteção das raízes e minimizar o desenvolvimento de ervas daninhas.
Com relação a pragas na berinjela, no cultivo em vaso, constatamos a presença de um sugador, apresentado nas Figuras 13, 14 e 15, cujo nome não conseguimos identificar.

Figura 13 – Folha com início da infestação.
Pode ser verificada algumas manchas clara na folha.

Figura 14 – Inseto sugador.
O inseto se instala na parte inferior da folha.
Essa praga é comum na jurubeba, planta essa que também cultivamos, e que pode ter sido a fonte da infestação.

Figura 15 – Planta infestada.
Berinjela onaga, cultivada em vaso de 18 litros.
Apenas um fruto desenvolveu, apesar de ocorrer uma boa floração, devido a planta estar fragilizada, com a infestação de praga na maioria das folhas.

No caso específico dessa planta, os insetos eram retirados esfregando um guardanapo na parte inferior das folhas, mas não foi suficiente para frear a propagação. A aplicação de calda de fumo surtiu melhor efeito.

Constatamos a presença de lagartas e de sugadores de cor amarela, mas esses insetos podem ser removidos facilmente das folhas.


5.       Dicas:
Para colher a berinjela deve ser usada uma tesoura de poda, pois existem variedade que apresentam alguns espinhos no talo que liga o fruto à planta.
A rega da berinjela merece atenção, principalmente nos dias chuvosos, pois mesmo cultivada em vaso, a planta pode desenvolver folhas grandes, dificultando entrada da água de chuva no vaso. Mesmo com a rega regular diária, se no final do dia, notar que as folhas murcham é sinal que pode estar faltando água.

Figura 16 – Folhas da berinjela.
Variedade onaga, cultivada em vaso de 12 litros, com folhas enormes.
Não adianta ficar enchendo o vaso de água, pois a água pode se perder. Então coloque um prato, com uma camada de pedriscos, no fundo do vaso. Na rega o prato pode ficar cheio de água, mas na rega subsequente o prato deve se apresentar seco.
Se a questão for sol muito forte na lateral do vaso de material plástico, coloque o vaso da berinjela dentro de outro vaso vazio ou o vaso da berinjela atrás do vaso de outra planta, assim evitando a incidência direta dos raios solares no vaso da berinjela.



Nenhum comentário:

Postar um comentário