Multilang

quinta-feira, 30 de outubro de 2014

Cultivo do Alecrim


                O alecrim é planta originária do Mediterrâneo, considerado medicinal, muito utilizado para temperar carnes, molhos e sopas. A vantagem de cultivar em casa é que o alecrim vai propiciar sabor e aroma especial aos pratos.


Figura 1 – Planta cultivada a partir de mudas feitas em casa (vaso de 1 litro).

                O cultivo do alecrim pode ser feito em vasos pequenos, por isso muito popular em hortas caseiras. Considerada planta perene, com pouca incidência de pragas, não muito exigente em regas e adubações, o que torna seu fácil cultivo. Em pouco tempo, o tronco dessa planta se torna lenhoso, parecendo um bonsai, por isso serve até para decorar os ambientes da casa, porém a planta não deve permanecer por muito tempo apenas na sombra.

Figura 2 - Vaso com capacidade de 5 litros.


                Vamos ao Cultivo do Alecrim:

1.       Plantio:

1.1   Plantio iniciado através de mudas compradas:

                A vantagem de iniciar o cultivo do alecrim, com a muda comprada é o ganho de tempo (meses) para iniciar a colheita.
                As mudas vendidas prontas são oferecidas em sacos plásticos ou vasos pequenos, com capacidade em torno de 0,5 litro. As plantas muitas vezes já se encontram com 10 a 15 cm de altura.

Figura 3 - Saco plástico com muda.

                Escolhido para o replantio um vaso de 2,5 litros, foi retirado um pouco da terra original, lateralmente e no fundo, com cuidado para não danificar as raízes. No exemplo, as raízes não estavam muito desenvolvidas.

Figura 4 – Parte da terra retirada antes do replantio.

                No caso de cortar muitas raízes, implica a necessidade de podar parte da copa, pois em todas as plantas existe um equilíbrio, quantidade de raízes x volume da copa (folhas).

Figura 5 – Muda com torrão de terra original.

                Vaso com tela de nylon no fundo, 2 cm de areia, para drenagem da água. O complemento de terra é feito em duas etapas: a primeira é colocar a terra em cima da areia de modo que a altura da muda com o torrão de terra original não ultrapasse ¾ a altura do vaso – essa terra do fundo deve ser nivelada e levemente socada; na segunda, depois da muda com a terra original centralizada no vaso, complete com mais terra nas laterais até atingir o nível do topo do torrão.

Figura 6 – Muda replantada.

                Mantenha a rega para evitar o ressecamento da terra, mas evite o excesso para que as raízes da planta não apodreçam. Inicialmente colocar o vaso em local que não receba sol muito forte, quando iniciar a emissão de novas folhas, a planta pode ser colocada em local mais ensolarado.


1.2   Plantio do alecrim a partir de sementes:

                Quando o alecrim é cultivado a partir de sementes, para a pessoa acostumada a cultivar outras hortaliças, vai achar que o seu crescimento é muito demorado.

Figura 7 – Muda de alecrim em copo de 200 ml, depois de 106 dias do plantio da semente.

                Para quem tem pouco espaço, pode iniciar o plantio em copos plásticos de 150 ou 200 ml, semeando no máximo de 3 a 4 sementes por copo. Importante que o copo tenha 3 a 4 furos no fundo e mais um rasgo lateral no fundo de 1 cm de comprimento para prover a aeração e drenagem da água.
                No fundo do copo é inicialmente colocado 1 a 2 cm de areia, para facilitar a drenagem da água, depois completado com terra até 2/3 a ¾ da altura do copo e socado levemente.
                Espalhe as sementes e depois cubra as sementes com 0,5 cm de terra, novamente soque levemente a terra, depois molhando com cuidado, leve para um local sombreado, protegido dos pássaros, mas com luminosidade.
                Quando iniciar a brotação das sementes, leve o copo para local mais ensolarado, mas protegido com uma tela de nylon, caso tenha pássaros que visitam a sua horta.


Figura 8 – Replantio da muda copo para o vaso definitivo de 2 litros.
                Muda do copo após 144 dias de plantada a semente.

Figura 9 – Detalhe do enraizamento da muda.

Figura 10 – Muda replantada.

Figura 11 – Depois de 86 dias replantado no vaso de 2 litros.
A planta estava com 25 cm de altura (Quase 8 meses depois de plantada a semente).


Plantio de sementes em vaso de muda de 600 ml:

Figura 12 - Muda após 67 dias do plantio da semente, com 6 cm de altura.


2.       Multiplicação do alecrim através de estacas ou mudas de brotação:

2.1 Obtenção da muda plantando a brotação direto na terra

                Depois de iniciado o cultivo do alecrim, é possível obter as mudas em casa, através de suas brotações laterais novas.

Figura 13 – Brotações laterais para obter mudas.
                As brotações devem ter mais de 3 a 5 cm, com 8 a 10 folhas.

Figura 14 – Plantio das brotações em vasos de muda.
                Feita cobertura da superfície com perlita, podendo ser com vermiculita ou pedriscos, retire 3 a 4 folhas inferiores da brotação.
                As brotações são enfiadas na terra até atingir a primeira folha deixada. Podem ser feitos furos com palitos, para facilitar o plantio.
                Coloque inicialmente em local sombreado, mas com luminosidade. Mantenha a rega para a terra não ressecar.

Figura 15 – Pegamento das mudas e replantio em outros vasos.
                Depois de 60 dias, ocorrido o vingamento das mudas (quando começam desenvolver folhas novas). Do plantio de 8 brotações, 5 vingaram, sendo 2 mudas transferidas para vasos novos e 3 mudas permaneceram no vaso original.
                Os dois vasos inferiores são as mudas replantadas em vasos de 1,0 litro.
                A muda para o replantio, deve ser retirada juntamente com um torrão de terra, com auxílio de uma faca pequena ou canivete.

Figura 16 – Mudas para o replantio.
                Para exemplificar o preparo da muda para replantio, com torrão de terra. Não são as mudas dessa sequencia.

Figura 17 - Desenvolvimento das mudas 52 dias após replantio, no vaso de 1,0 litro.
                Como pode ser visto, através das sequencias anteriores, que o desenvolvimento inicial do alecrim é lento.

Figura 18 - As mudas replantadas nos vasos de 1,0 litro, depois de 352 dias.
                Essas mudas devem ter chegado ao limite de crescimento limitado pelo tamanho do vaso. Para a planta crescer mais, deve ser transplantado para um vaso maior.


2.2 Obtenção da muda, colocando a brotação em espuma fenólica para enraizamento

                O preparo das mudas é semelhante ao método anterior, faz-se a colheita de brotos laterais sendo retiradas as folhas inferiores.
                Depois de iniciado o cultivo do alecrim, é possível obter as mudas em casa, através de suas brotações laterais novas.

Figura 19 – Brotações laterais com algumas folhas inferiores retiradas.

Figura 20 – Brotações fincadas em espuma fenólica.
                No exemplo, espuma com dimensões 2,5 x 2,5 na base e 2,5 de altura, em cm.

Figura 21 – Mudas colocadas em copo com água para enraizamento dos brotos.
                A muda deve ficar em um copo plástico de 200 ml, com um rasgo de 0,5 a 1 cm feito com a ponta de uma pinça metálica aquecida, no caso a 2,5 cm do fundo do copo. O rasgo tem a função de facilitar a drenagem do excesso de água ou seja não afogar a muda.
                Renove a água do copo, no mínimo a cada 3 dias, bastando regar a muda.

Figura 22 – Vista do enraizamento da muda.
                Depois de 30 dias, começam a aparecer algumas raízes fora da espuma. Se a brotação colocada na espuma for pequena, demora mais tempo para a raiz aparecer, porém estando a muda sadia, é sinal que ocorreu o pegamento.

Figura 23 – Plantio das mudas em copos plásticos de 200 ml.
                Plante a muda, sem retirar a espuma, em vaso definitivo ou em copo, lembrando que ser for aproveitar o copo do enraizamento, terão que ser feitos furos no fundo.
                A muda deve ser manuseada com cuidado, segurando-se a muda pela espuma. A terra no ambiente novo deve chegar a cobrir um pouco a espuma fenólica.

Figura 24 – Desenvolvimento das mudas.
                A mesmas mudas, depois de 70 dias após o plantio nos copos: a planta maior, que estava com 6 cm no enraizamento, está com 14 cm de altura.


3.       Terra para o vaso e rega:

                Utilize terra comprada pronta em casa especializada de horticultura ou jardinagem. Em caso de reaproveitamento de terra utilizada em cultura anterior, acrescente adubação orgânica, misturando a cada 5 litros de terra, 1 litro de adubo orgânico curtido, 1 colher de chá de NPK e ½ colher de chá de calcário, mas para esses 2 últimos produtos melhor seguir as recomendações dos fabricantes. Ideal que a terra não seja muito pesada ou seja muito argilosa, acrescentar pouco de areia de granulometria média ou grossa, podendo ser uma parte de areia para três dessa terra pesada.
        Com a adubação orgânica, a terra perde menos umidade no início do replantio. Com o crescimento da planta e o consumo da matéria orgânica, a rega deve ser mais frequente. Mas o alecrim não é muito exigente em rega, evitar apenas que a terra não fique muito ressecada.

4.       Colheita, poda e adubação complementar:

        O alecrim é uma planta com tendência a emitir muitos ramos, a partir de um tronco principal, por isso a medida que efetuamos a colheita, já estamos moldando o futuro desenvolvimento da copa.
                As folhas para consumo devem ser novas e ter uma coloração verde claro. O ramo colhido pode ser retirado a partir da base onde brotou ou deixando um pedaço de ramo, por exemplo no mínimo com 1 cm de comprimento ou com 3 nós, nesse último caso, novas brotação serão emitidas a partir do pedaço de ramo deixado.

Figura 25 – Folhas verde claro, em ponto para consumo.
                Sempre utilize uma tesoura para o corte dos ramos, evitando danos a planta.

        A adubação por cobertura é suficiente, por exemplo, uma colher de chá de NPK e ½ colher de pó de calcário, para cada litro de vaso, depois de concluída a colheita de um dos vasos. Para um vaso de 5 litros a medida pode ser colher de chá. Se usar apenas adubo orgânico curtido, triplique a medida para o adubo e mantenha a mesma proporção para o calcário.

Dicas:

                O tamanho do vaso para plantio definitivo do alecrim vai depender do consumo, para uma família pequena, 2 vasos de 2,5 litros de capacidade é suficiente. Enquanto faz colheitas numa planta, a outra recebe uma adubação orgânica de cobertura para emitir novas brotações para futura colheita, de modo alternado.
                É recomendável que as mudas de alecrim, depois de plantados em vasos individuais, recebam cobertura morta, de preferência de pedriscos. Suas raízes são frágeis, portando esses pedriscos irão proteger as raízes, ajudando também a manter a aeração do vaso, pois previne o desenvolvimento de algas e de ervas daninhas.
                Revolver os pedriscos, com cuidado, de tempo em tempo. Essa recomendação dos pedriscos vale para o tomilho, a sálvia, a manjerona, a erva cidreira (verdadeira) e outras ervas condimentares que tenham as raízes superficiais frágeis.
                A terra do vaso, pelo menos a cada 2 anos, pode ser trocada parcialmente, com procedimentos semelhantes aos aplicados no cultivo de bonsai.
                As espumas fenólicas são vendidas em placas, com diversas dimensões na internet. Apresentam rasgos para separação das unidades, mas utilize um estilete comprado em papelaria.

                Ilustrações de replantio para vaso de 5 litros de muda em desenvolvimento:


Figura 26 – Mudas em vasos de 5 litros, após o replantio.


Figura 27 – Depois de 120 dias após o replantio.


Mais Cultivo Zen

O Cultivo Zen te inspirou a iniciar o plantio de alguma hortaliça? Já tem uma horta em casa e cultiva outras plantas? Mande suas fotos para cultivozen@gmail.com, pois algumas serão selecionadas e postadas, dando crédito aos seus respectivos autores.

Um comentário: