Multilang

quinta-feira, 16 de novembro de 2017

Cultivo da Batata-doce (Ipomea batatas)


A batata-doce, pertence a família das Convolvulacea, é planta originária do continente americano. Rica em fibras, vitaminas A, C e E, potássio e ferro, consumimos suas raízes tuberosas cozidas, assadas ou fritas. Além de servir de alimento, também pode ser utilizado para fabricação do etanol, opção de biocombustível para minorar a nossa dependência em relação aos combustíveis fósseis.
As variedades mais consumidas apresentam cascas de cor branca, vermelha ou roxa e, no seu interior, a polpa pode ter coloração variando de branca, alaranjada ou roxa. As flores das batatas-doces são muito parecidas com as flores das plantas decorativas conhecidas como ipomea, que fazem parte da mesma família botânica.
Estamos publicando essa postagem da batata-doce juntamente com as verduras, porque suas folhas podem ser consumidas refogadas, como salada.

Figura 1 – Ramos da batata-doce.

Resultado do plantio de uma raiz tuberosa, 3ª colheita, depois de 108 dias após o plantio.

Em alguns países da Ásia, as ponteiras dos ramos novos e as folhas da batata aquática, parente da batata-doce, são consumidas em pratos cozidos ou refogados. Na internet, para nossa surpresa, são apresentadas diversas receitas com as folhas da batata-doce, inclusive sobre as suas propriedades que trazem benefícios à nossa saúde.
            Quando morávamos no interior, quase todos os anos, no início da época de chuva, a gente plantava os ramos da batata-doce em leiras. Passados alguns meses, algumas leiras eram escavadas para ver se as raízes tuberosas já poderiam ser consumidas. Nas festas juninas, se assava as batatas nas cinzas das fogueiras.
Como não é muito comum encontrar as folhas da batata-doce à venda no comercio, pois elas murcham com muita facilidade, principalmente se não estiverem em companhia dos ramos, então apresentamos nesta postagem método para obter as folhagens dessa hortaliça.

Vamos ao cultivo da batata-doce:
1.    Início da Cultura:
Para obtenção de folhas e ramos novos, em vasos ou jardineiras, para consumo, é recomendável plantar uma batata-doce comprada nas feiras ou supermercados. É que a batata semente vai prover de nutrientes os ramos e folhas.
A cultura iniciada com uma batata comprado na feira ou supermercado, deve ter aparência sadia e comprimento menor que a altura do vasilhame destinado para o cultivo. Mas nada impede que se plante a batata deitada ou seja na posição horizontal.

Figura 2 – Exemplo de batata utilizada para semente.

13 cm de comprimento x 5 cm de diâmetro.


2.    Plantio da Semente:
Para o consumo das folhas ou obtenção de novas mudas, podem ser utilizados vasilhames pequenos, por exemplo aquele pote utilizado na venda de sorvete ou vasos de plantas com 5 a 7,5 litros de volume.

Figura 3 – Plantio da raiz.

Vasilhame de 16 cm x 10 cm, altura de 10 cm.
A batata foi plantada deitada porque o vasilhame não tinha altura suficiente para deixar a semente na posição vertical.

Figura 4 – Brotação.

Depois de 15 dias do plantio da semente.
Na Figura 1, tem uma das colheitas desse plantio.

Para o plantio em vaso, coloque uma tela de nylon sobre os furos e cubra com 3 cm de areia de granulometria média ou grossa socada, depois complete com terra de modo atingir 2/3 a ¾ da altura do vaso. Não se deve encher muito o vaso com terra, para possibilitar adubação complementar.
Pode ser utilizada terra reciclada de cultura anterior ou terra comprada em casas de floricultura ou horticultura.


3.    Tratos culturais:
Planta que produz bem em solo arenoso, não é muito exigente na adubação e água, quando cultivada no chão.
No cultivo comercial a batata-doce é suscetível a várias pragas. Na cultura doméstica, visando apenas o consumo das folhas, se observar que elas apresentam coloração desbotada ou com manchas, pode ser efeito da falta de algum nutriente, fungos ou virose.
Figura 5 – Folhas com infestação de pragas.

Planta cultivada em vaso, com a batata semente reaproveitada de cultura anterior, utilizando a mesma terra, com nova adubação.

Substituir as plantas que apresentarem folhas como na ilustração anterior, plantando novas batatas sementes e não reutilizar a terra que teve a cultura da batata, isto é, reciclar essa terra em outras culturas.
Os ramos em que as folhas serão consumidas, poderão ficar apoiados em uma tela, estacas ou em outras plantas, evitando respingos de sujeiras ocasionados pelas regas de água ou chuvas.
Após cada colheita espalhar 100 a 200 ml de adubação orgânica na superfície do vasilhame de plantio, para cada 5 litros de volume da cultura.


4.    Colheita das folhas (ramos):
Quando os ramos atingirem em torno de 50 cm de comprimento, podem ser cortados e consumidas suas folhas, podendo utilizar esses ramos para fazer novas mudas, mesmo sem as folhas.
Para colheita de novos ramos na planta, deixe pelo menos 2 nós na base de cada ramo retirado da planta, assim permitindo a brotação de novos ramos.


Figura 6 – Desenvolvimento das plantas.

Passados 42 dias do plantio das sementes.
No lado esquerdo vaso de 5 litros e no lado direito vasilhame de 1,76 litro, da Figura 4.

Figura 7 – Colheita.




Figura 8 – Vasos depois da colheita.


Cada batata semente pode emitir diversos ramos.


5.    Preparo de Novas Mudas com Ramos:
A propagação da batata-doce por ser feita através dos seus ramos, procedimento utilizado no cultivo comercial.  
Para o preparo das mudas, principalmente dirigido ao plantio da batata no chão, em pequenos quintais, e em vasilhames, sugerimos obter mudas em copos. Essas mudas em copos podem durar vários meses, assim possibilitando o replantio defasado das mudas e colheitas melhor distribuídas no tempo.
Corte os ramos com 2 ou 3 nós e deixe num copo com água durante 48 horas. Prepare copos de 200 ml, com furos no fundo, adicionando 2 cm de areia socada e depois completando com ¾ da altura do copo com terra reciclada (peneirada de cultura anterior). São plantados 1 ou 2 pedaços de ramos em cada copo, regue com água e deixe em local sombreado. Não deixe a terra ressecar e quando aparecer as primeiras folhas, o copo pode ser levado para um local mais ensolarado.

Figura 9 – Pedaços de Ramos.

Depois de retiradas as folhas para consumo, os ramos são cortados com 2 ou 3 nós.

Figura 10 – Mudas de Ramos.

Depois de 10 dias do plantio em copo.
Nessa fase as mudas ainda desenvolveram poucas raízes, então seria recomendável aguardar mais 20 dias para o replantio em local definitivo.

Figura 11 – Raízes.

Depois de 35 dias do plantio dos ramos, as raízes estão com bom desenvolvimento.
Plantio dos ramos da Figura 8.


6.    Replantio das Novas Mudas de Ramos:
O cultivo no chão é feito em leiras, que são canteiros estreitos em linhas de terra amontoada, com largura em torno de 40 cm.
Então para pequenas hortas, como as comunitárias ou escolares, a vantagem da muda em copo é que não precisa aguardar o início da estação das chuvas, para começar o plantio dos ramos. Se a leira estiver muito ressecada, as mudas devem receber, periodicamente, rega com água até o início do período de chuvas, mesmo com as mudas obtidas em copos.

Figura 12 – Enraizamento de ramo.

Raízes que desenvolveram de ramos e podem formar novas raízes tuberosas, quando a planta é cultivada no chão.


7.    Dicas:
Para cultivar a batata-doce, com objetivo de consumir as folhas, em vasilhames pequenos, com 5 a 10 litros de volume, melhor iniciar o cultivo plantando a batata, pois ela vai prover nutrientes aos ramos e folhas, produzindo maior quantidade de folhas, desde o início da cultura, do que plantando as mudas originárias de ramos.
Se o cultivo tem como objetivo de colher os tubérculos para consumo, evitar a colheita das folhas, senão a colheita de tubérculos será menos abundante.
Se plantar a batata-doce em vaso, para colheita das raízes tuberosas, utilize vasos com capacidade de 12 litros, quadrangular (28 cm de largura na boca e 28 cm de altura). Plante 5 mudas distribuídas no vaso e a colheita após 8 meses do replantio. A cada 2 meses, pode ser feita uma adubação orgânica ou com NPK, pois ao contrário do cultivo no chão, as raízes dos ramos aéreos não têm como absorver nutrientes.
Se for plantar a batata-doce na posição vertical, o topo da raiz tuberosa, de preferência, deve ficar voltado para cima, como ocorre na natureza. Muitas vezes é difícil identificar onde é o topo e a base do da batata, como a batata-doce da Figura 2, mas se observar com cuidado é possível notar a presença de algumas gemas, onde inicia as brotações dos ramos, como na ilustração abaixo.
Figura 13 – Topo da batata.

Apresenta 3 gemas ou olhos, onde brotarão os ramos.

O plantio também pode ser iniciado com um pedaço do topo da raiz tuberosa.
Figura 14 – Pedaços da batata.

Cortados 1 semana antes do plantio.
Diâmetro da base com 3 cm e altura de 2,5 cm.
A identificação do topo foi possível devido as gemas, pois muitas vezes as batatas mais longas são cortadas nas extremidades durante a embalagem para venda, ficando difícil identificar onde é topo ou a base.

Figura 15 – Brotações.

15 dias depois do plantio dos pedaços da batata.
A planta da direita que estava com as gemais mais desenvolvidas, com ramos de 13 cm.
As sementes da esquerda e central ainda não emitiram ramos.

As folhas e a parte da ponteira macia dos ramos podem ser consumidas refogadas, como se faz com as folhas da couve manteiga, cortadas finas, com 0,5 de largura. Esquente a frigideira com azeite de oliva, podendo adicionar alguns pedaços de “bacon” e em seguida as folhas picadas.
As ponteiras macias dos ramos podem ser adicionadas nas sopas ou utilizados nos “tempura”, tradicional prato japonês, que são os empanados de verduras e legumes.

Tem um site muito interessante sobre a batata-doce, pesquise http://www.matosdecomer.com.br.

Nenhum comentário:

Postar um comentário